• header image 1
  • header image 2
  • header image 3
  • header image 4
  • header image 5
  • header image 6
  • header image 7
  • header image 8
  • header image 9
  • header image 10
  • header image 11
  • header image 12
  • header image 13
  • header image 14

8 e 9 de Agosto - Quinta do Ega (Vagos)

OPETH

Opeth

Os OPETH passaram as últimas duas décadas a trabalhar incessantemente – e a crescer, a vários níveis. Pelo caminho transformaram-se num dos nomes mais influentes da sua geração e acumularam um corpo de trabalho que revela, simultaneamente, uma devoção incessante pelo conceito de progressão estética e também um fervoroso desejo de busca pela perfeição.

KREATOR

Kreator

Os KREATOR são uma das faces mais reconhecidas do movimento thrash europeu. Porta-estandartes da tendência em território germânico, Mille Pettroza e companhia surgiram no início dos anos 80 e, ao longo da década seguinte, estabeleceram-se como um dos nomes mais influentes saídos do fenómeno graças a uma sequência de clássicos intemporais.

EPICA

Epica

Porta-estandartes do female fronted metal, os EPICA têm sabido exatamente como progredir e evoluir desde que, em 2003, se estrearam com «The Phantom Agony». Só durante a primeira década de existência, que comemoraram este ano com «Retrospect», os EPICA treparam a tops de vendas em todo o mundo e tocaram em mais de 50 países diferentes.

ANNIHILATOR

Annihilator

Com 24 anos de carreira, os ANNIHILATOR são a banda de metal canadiana que mais discos vendeu ao longo da sua carreira, estando já perto dos dois milhões a nível mundial. Sinais da sua vitalidade não faltam e a mais recente chama-se «Feast» e é o 14º registo de longa-duração de um dos coletivos mais resilientes de sempre da história da música extrema.

BEHEMOTH

Behemoth

Vinte e três anos e dez álbuns depois de terem sido criados por Nergal, os BEHEMOTH continuam a ser uma das bandas mais respeitadas e influentes da sua geração. «The Satanist», o mais recente registo de estúdio, é o exemplo perfeito disso – verdadeira declaração de intenções, de compromisso, de determinação e da capacidade de escrever algum do death/black metal mais poderoso alguma vez gravado.

SOILWORK

Soilwork

Pioneiros, ao lado dos In Flames e Dark Tranquillity, da New Wave Of Swedish Death Metal nos anos 90, os SOILWORK são uma das bandas mais consistentes do seu género. Trabalhadores incansáveis, a banda soube cimentar a posição que ocupa à custa de discos como «Figure Number Five», «Stabbing The Drama», «Sworn To A Great Divide» e «The Panic Broadcast».

THE HAUNTED

The Haunted

Quando os At The Gates se separaram em 1996, três dos seus cinco elementos (os irmãos Björler e o baterista Adrian Erlandsson) juntaram-se ao guitarrista Patrik Jensen e ao vocalista Peter Dolving e formaram os THE HAUNTED, dando continuidade ao som que os pioneiros do death metal melódico sueco tinham desenhado uns anos antes para o incontornável «Slaughter Of The Soul».

SYLOSIS

Sylosis

Corria o ano de 2008, quando um quarteto até então desconhecido assinou contrato com a Nuclear Blast para a edição do seu álbum de estreia. Contra todas as expectativas, «Conclusion Of An Age» e os SYLOSIS deram que falar desde o primeiro momento com uma mistura de death/thrash moderno e elementos progressivos.

ANGELUS APATRIDA

Angelus Apatrida

Apresentados como "a mais promissora e ameaçadora banda espanhola" quando a Century Media os mostrou ao mundo em 2010, os ANGELUS APATRIDA transformaram-se num nome a ter em conta por direito próprio e, hoje em dia, são vistos como um dos projetos mais empenhados no cenário europeu.

REQUIEM LAUS

Requiem Laus

Com mais de duas décadas de existência, os REQUIEM LAUS surgiram em pleno boom do underground nacional e, são um dos mais exemplares casos de perseverança saídos da ilha da Madeira. Apostando numa mistura de death e doom metal a banda foi desenvolvendo uma identidade cada vez mais forte, bem espalhada no EP «Impulse», o seu lançamento mais recente.

KANDIA

Kandia

Nya e André Cruz decidiram juntar as suas forças criativas em 2007, dando assim origem aos KANDIA. Com gostos musicais bastante ecléticos a dupla criou um som próprio, que mistura todas as suas influências – dos Pink Floyd aos Opeth, passando pelos A Perfect Circle, Tool e Metallica. «All Is Gone» é o mais recente álbum, editado a 27 Maio, através da BMG Chrysalis.

THE QUARTET OF WOAH!

The Quartet of Woah!

Desde que lançaram o seu álbum de estreia, intitulado «Ultrabomb», em Novembro de 2012, os THE QUARTET Of WHOA! transformaram-se rapidamente numa das mais excitantes e refrescantes surpresas de que há memória na música portuguesa dos últimos anos.

GATES OF HELL

Gates of Hell

Formados em 2008, no Porto, os GATES OF HELL começaram pelas mãos dos guitarristas Pedro e Filipe Afonso e do vocalista Filipe Aragão. Com um EP «Shadows Of The Dark Ages» e um longa-duração «Critical Obsession», revelaram-se uma bomba de groove metal, injetado de thrash e death, capaz de rivalizar com os melhores do género.

MURK

Murk

Criados em Olhão, os MURK são uma banda de death metal com influências alternativas, o que – por si só – já é motivo mais que suficiente para aguçarem a curiosidade. O nome pode ser ainda pouco conhecido, mas a verdade é que os cinco músicos não são propriamente novatos na cena underground nacional, sendo que alguns deles fizeram parte dos Sattor.

Newsletter

Videos Recentes